terça-feira, 4 de agosto de 2015

Quem não te conhece, que te compre!

Se amamos alguém, não esperamos nada de volta. Nem mesmo amor. Simplesmente amamos. É uma entrega.

O que mais tem interferido nos relacionamentos tem sido o constante alerta, um estado defensivo que põe palavras nas bocas uns dos outros sem que ninguém diga nada.
É um tal de "eu te conheço!"
Convívio com pouco ou nenhum tempo de qualidade. E o resultado é: Uns pensam sempre que sabem o que o outro vai dizer, e porque e como, sem que realmente seja verdade.

É adivinhar intenções.

Quando amamos, não adivinhamos intenções, porque simplesmente não interfere em nós o que o outro diga mal.
Podemos nos zangar por um instante, mas aquilo não se mantém. Quando se mantém é porque não estamos amando.
Tornou -se um hábito de convívio.

Quando chegamos a este ponto, é hora de férias!

Se a voz do outro já te irrita, se o que você faz é mais importante e eles te incomodam...
Para tudo!
Deixa todo o resto para depois.

O mais importante é estarem bem, felizes uns com os outros.

Sentem, riam, saiam de casa, mas aproveitem um ao outro.

O excesso de obrigações te faz fazer tudo mal.

Eu tenho certeza que se você pensar bem, descobre onde e como parar e melhorar esta situação...

Não que eu vá tirar férias dos meus filhos e marido,ou amigos... Não!

Vou tirar férias da minha razão. Férias de mim próprio e do meu excesso de conhecimento do outro.

Não dizemos nada, não julgamos nada.

O "conhecer" muito tira nossa sabedoria. Quem sabe muito o que o outro pensa, sente, ou "queria dizer" cria conflitos. São os"espertos".

Quando amamos 100% não sabemos nada. Somos pacientes em ouvir, não adivinhamos o final da frase, ou intenção por de trás dela.


2 3 4 5 6 7

Postagens populares