segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Meu filho foi grosseiro, e agora? Mando pedir desculpas?


É bastante óbvio que ser mal educado não está bem. 
E quando nosso filho faz uma grosseria, nossa cara vai para o chão, vai?
A minha não.
Eu resolvo na mesma hora, e não é com gritos e palmadas, faço a interpretação mais justa possível da situação.

Sem acusar, tento entender o que está acontecendo.
Minha filha não está sempre certa, e a pessoa "ofendida" também nem sempre é uma vítima inocente na situação.

Não peço desculpas por ela, e não obrigo que ela peça. Mas procuro avaliar os fatos e o comportamento dela. E Digo:
 "Independente do que tenha acontecido, você não pode ser má, não deve ofender, ou muito menos agredir. "
"Você tem alguma coisa a dizer? Acha que está fazendo bem? Me explique..."
 O mundo é torto, e tem muita gente má, manipuladora, presunçosa, falsa, e por aí vai... que irrita, incomoda e maltrata crianças. O que não dá direito de retribuir olho por olho.
Mesmo que as vezes para nós adultos também seja difícil não responder a altura de uma ofensa, não devemos permitir que nossos filhos sejam grosseiros.

Se a situação foi visivelmente uma malcriação apenas por parte de seu filho, chame-o a razão apresentando os fatos. Mas nunca obrigue a pedir desculpas.

Seja firme e demonstre seu desagrado com um olhar firme e tom de voz sério. Independente de quem esteja olhando. Sem gritos, mas firme e segura de sua autoridade e responsabilidade com educador.

Devemos ensinar a perdoar e pedir perdão, com nosso exemplo, ensinando como é importante fazer isso. É uma construção de anos, não tente obriga-lo a "aprender" naquele momento. 
Não queremos formar adultos que sentem que pedir desculpas é humilhante, uma punição.
2 3 4 5 6 7

Postagens populares