sexta-feira, 2 de junho de 2017

Parei de pedir, comecei a dar... RELATO


Muito obrigada pelos vídeos que tem feito.
Muito obrigada porque, com a tantas mães que a ouvem, também me tem feito repensar e, não apenas isso, mudar as atitudes/o olhar.

Ando no jejum dos gritos, desde 21/5. E gosto tanto disso! Mesmo que não veja, ainda, as mesmas mudanças nos gestos e tons da pessoa mais importante da minha vida, sinto realmente que é assim que quero viver com/para a família, nesse modo "lua de mel". Se Deus quiser, havemos de conseguir manter-nos no trilho.
O reconhecer do meu olhar amargo, sobre tudo perante as atitudes dos outros, associado a um sentir doloroso, como se "tudo" se tratasse de um ataque pessoal, depois a história que contou da nora/sogra_ assustadora no início (desejar a morte de alguém?!), mas reveladora de uma lição profunda , as suas palavras sobre o papel/culpa das mães/pais e a inocência das crianças (tantas vezes, esquecida/atropelada), enfim...

Resistir à tentação da auto-comiseração e vitimização.Alargar a visão para perceber as bênçãos e maravilhas de Deus.
Não desistir. Pôr mãos à(s) obra(s).
Não fechar portas.
Ser humilde e grata, na prática do dia-a-dia.
Mais do que querer, ser de verdade.


Por isso, Stephanie, obrigada.
Encontrei-a, por acaso. Identifiquei-me pela situação de emigrante, sem família/apoio perto e profissão interrompida, ou melhor, alterada por opção pessoal (no seu caso, com uma convicção inabalável, graças ao seu carácter de total segurança em si própria).
Vou ouvindo sempre que tenho tempo livre; ao vivo, consegui assistir a um único vídeo, mas foi muito interessante a sensação do "estar em directo". 

Lufada de ar fresco, tão bem fundamentado no ensinamento de Jesus.
Até um dia.
Beijinhos,
Daniela

2 3 4 5 6 7

Postagens populares