terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Depois de ser mãe eu não sei quem eu sou | MAE DE FAMILIA |

Canal do Youtube da Mãe de Família

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Tadinha... é autista, não tem amigos...


Como autista, o que mais me incomodava na infância e adolescencia, era a tal obrigação de ter amigos.
Gosto e sempre gostei de estar no meu canto.
Não! Eu não estou carente, triste e isolada do mundo. Eu estou completa!
O que me deprimia era saber que estava sozinha e que isso é triste e que eu devia me sentir triste. Percebem a diferença???
Eu não sabia que era um momento que deveria ser tratado com medo e angustia. Mas ensinaram-me...

"Coitadinha, não tem amigos"

Hoje como mãe de 2 autistas, como médica especialista em Autismo, a primeira coisa que digo a todos que me procuram é: "Não ensine a ser feliz à sua maneira".
Apenas deixe cada um ser como é!
Você, desse seu jeito neurotípico, é assim tão mais feliz que eu??? Será?
Quando a criança demonstrar clara tristeza e frustração por não ter amigos, insegurança por pensar que ninguém vem à sua festinha de aniversàrio... faça-a lembrar das pessoas que a amam.
Com certeza, seu filho há de cativar pessoas que o vão amar para sempre, mesmo que ele mesmo não se esforce para isso. É o "mel" que temos. Somos leais e transparentes, as pessoas certas nos querem.

Quer saber mais sobre nós? Assista este vídeo...
Dra.Stephanie Matos, Mãe de Família.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

MANUAIS ESCOLARES GRATUITOS!

MANUAIS ESCOLARES GRATUITOS!
Mais uma ótima iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa.
Saiba se tem direito.
...

domingo, 24 de dezembro de 2017

Sua saudade não vai passar....



Lidiane... não posso tirar esta dor que você sente. Mas a vontade de te abraçar e acolher é grande.
Sua saudade com certeza não vai acabar, eu sei. Não vou mentir e dizer que vai passar.

Aqui em casa, falo sobre a morte com a Joana, ainda com 5 anos. É um assunto normal para nós.
É a maior certeza que temos... e não quero minha filha vivendo com medo do óbvio. Eu vou morrer... alguém vai morrer. Todos vamos.
E então, fiz questão de explicar a ela, como é morrer e o que acontece quando morremos.

"Um dia Juju, a gente dorme e acorda com todos os que amamos e que nos amam, juntos.
Lá, não ficamos doente, não há gritos ou zangas. A comida a gente tira dos galhos da arvore... o que se gosta e se quer, está la.
Ninguém vomita por comer demais, e não dói a barriguinha de fome.

Tudo o que se faz é gostoso e deixa nosso coração feliz e sem medo do que pode acontecer.
Ninguém nunca se machuca.
Podemos voar, cantamos afinados e sem medo de falar errado. Não se ofendem com o que dizemos. Todos nos amam, lembra?
Se a mamãe for antes da Juju, ou o Pedrinho for antes de nós... vamos ter saudades aqui. Saudades porque amamos e tudo, para quem fica, parece demorar demais.
Mas a verdade, é que quem foi antes, não sabe que foi antes.

Lá o tempo é diferente... a vida já passou e todos aqui já estão lá.
Eu sei que parece confuso... mas o tempo é relativo. Um dia você vai entender isso.

Sentir saudades é bom, mesmo quando dói muito. Mas nós vamos continuar caminhando aqui, até o dia de chegar lá, onde todos estaremos.

Juju, tenha uma vida, faça netos para a mamãe conhecer, e/ou amigos incríveis. Cuide de quem está mal aqui. Muita gente tem dor e sofre... estão sozinhos e a Juju vai poder abraçar e ser um pouquinho de céus para eles.

Não tenha medo, porque tudo é relativo. Lembre-se que isso passa e que eu já estarei a tua espera onde todos te amam.

Mas você precisa aqui fazer tudo isso... viver aqui, para depois chegar lá e viver para sempre.

Por favor Juju, guarde isto: nós sabemos esta verdade e temos o poder de ser um pedacinho do céu aqui. Quanto mais fazemos isso, mais perto ficamos de casa. Da nossa verdadeira casa."

A saudade é grande Lidiane, você sabe a dor que carrega. Mas lute para trazer um pedacinho do céu para sua vida. Seja Deus para outros... outras crianças, outros que sentem dor... e isso vai te deixar mais pertinho do teu Pedrinho. Respirando o mesmo amor que ele agora respira.
Sinta meu abraço... e um pouquinho do céu que agora te envio. Amém.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Acabaram-se os sonhos, mas ficaram os suspiros.

Quanto tempo eu demoro a perdoar?
Quanto demoro a esquecer?
O que me faz desistir?
O que me faz chorar?
Quando gosto de estar perto?
Quando enjoo de tentar cativar?
Que cheiro me inspira e me faz fantasiar?
Que musica me desconcentra e leva longe do que me angustia?
Que palavra me acalma?
Que imagem me constrange?
Porque eu estou assim?
Porque entendi tudo errado?
Porque eu mudo tão rápido?
Porque ninguém me vicia?
Em quem eu penso quando vejo uma cena de carinho?
O que me faz explodir de ira?
O que me acalma?
O que te faz suspirar quando já não há sonhos?
Quando tenho tantas questões de mim, eu fujo. Não gosto de me olhar.
Olhar para mim me faz sentir vazia, inventar problemas, procurar respostas para perguntas que não existem.
Gosto de interpretar. De cuidar de gente sem saber o porque dela precisar.
Gosto de cantar, quando todo mundo está irritado, e não, não é para zombar.
Gosto de abraços que tardaram a acontecer. Gosto de abraçar demorado... Gosto de sentir o ar sair aliviado de quem finalmente descansa em mim.
Gosto de silencio.
Gosto de estar empolgada.
Gosto de escutar gente mais velha. Não gosto de drama.
Gosto de saber como foi? Onde você errou? Como posso evitar?
Gosto de socorrer e ir embora.
De ajudar nos maus momentos. Não sou boa o suficiente para receber gratidão, eu desapareço tempo demais da vida das pessoas.
As pessoas desistem de mim, ainda bem por isso. Infelizmente nem todas. Algumas passam anos a minha espera e isso me angustia.
Tenho muitos fantasmas de almas que me amam... que se perguntam porque parti, porque nunca fico. Logo eu que odeio despedidas, que nunca digo adeus. Talvez isso as prenda...
Tenho tantos finais em aberto... não, eu nunca perco a conta.
Algumas questões mais difíceis que outras para resolver.
Desisto.
Li certa vez que Paulo fugiu para Tarso... parou de pregar o evangelho e se refugiou.
Isso me disse muito.
Eu falo pouco, escrevo muito, penso o tempo todo.
Tenho tantas questões. Tudo que observo me sobra, nada acaba ali.
Eu não esqueço. Não guardo mágoas.
Por mais que me peçam, eu não jogo fora meus óculos azuis. Não me importo que os feios fiquem mais bonitos. Isso não é falso para mim, é apenas o meu olhar.
Preciso de gostos fortes, momentos intensos, de ouvir tua voz...ela é docinha.
De banho quente, de sentir frio e me encher de edredons
De cheiro de café de manhã e de batata frita às 5h da tarde quando ainda não almocei. Eu sei que isso engorda. Me engorda os olhos, me enche de esperança o coração... quem dera o cheiro viesse lá de casa agora. Ainda tenho que preparar o jantar.
Gosto de pensar de madrugada, eu chamo isso de orar.
Tudo oque você faz, me parece tão importante. Eu te admiro.
Nunca deixei de perguntar por você.
"A boca fala do que o coração está cheio", não é uma profecia. É óbvio.
Pintar me acalma... constância me equilibra. Sempre na mesma direção, corrigindo imperfeições. Eu me afasto da porta.
Tudo ganha um novo olhar sob nova perspectiva. Nem sempre preciso me afastar para isso. Muitas vezes me acontece quando aproximo. Nem sempre isso é bom.
As vezes falo até enjoar da minha voz. As vezes enjoo de te ver, porque você parou de me olhar.
Quero que você vá embora, mas não quero que saia de perto de mim.
Não gosto de ser refém. Eu causo isso nas pessoas... elas tentam me prender. Acho que é minha aparente indiferença.
Eu não sou passional. As vezes ajo por impulso, até isso é pensado, me permito extravagâncias.
Quem nunca?
Nunca... eu penso nessa palavra e vejo um buraco preto desenhado num papel. As palavras para mim tem imagens. Até as mais abstratas. Até o "até".
Será que mais alguém tem os dias da semana em desenho na mente? Tenho que "googlear" isso.

Stephanie Matos

domingo, 12 de novembro de 2017

Eu sou Autista e preciso que você não exija de mim o que eu não posso te dar.



Vou explicar... Assim como Einstein, eu tenho algumas limitações: NÃO entendo indiretas. Você vai "passar raiva" se tentar me induzir a alguma coisa com uma indireta. EU NÃO TENHO COGNIÇÃO NEURONAL automático PARA ISSO! Não é má vontade, EU NÃO SOU CAPAZ DE ENTENDER. NÃO entendo nem um pouco o SARCASMO! vou te levar a sério até que você diga que não é sério! Então, uma ironia ou sarcasmo que eu entenda ou mesmo que eu faça, foi aprendida. Tem que ser daqueles sarcasmos comuns...que se repetem. Do tipo "não tenho tempo" e a pessoa faz um sinal de dinheiro com as mãos. Só entendo ou mesmo faço porque aprendi. Se um dia, fora de contexto você disser que não tem tempo para ir ao cinema, eu vou pensar que é tempo, de horas do dia. A não ser que eu veja o sinal com as mãos ou você seja MUITO enfático na entonação ou mesmo diga... Olha é um sarcasmo. Não me pergunte se você não quer a resposta. Se você me disser assim... olha, ando a fazer dieta ha muito tempo e preciso me sentir magra. Você acha que estou magra? eu vou dizer...sim, você está ótima. PORQUE APRENDI QUE É O QUE VOCÊ PRECISA NESSE MOMENTO. Mas se você apenas me pergunta, sem introdução ou explicações, "Stephanie, você acha que preciso perder uns 5kg?" eu vou dizer... a verdade. Porque? porque foi a pergunta e eu não pensei, apenas fui honesta. me pergunta "porque", e eu respondo o porque. Eu não sei lidar com medo... ou sou exageradamente corajosa e me abraço a um leão, ou tremo de medo porque um gato está me encarando. Vou ter medo de situações, de ser avaliada, de ser maltratada... e posso ficar muito perturbada com isso. EU JAMAIS VOU TE AGREDIR... as agressões autistas são motivadas por tentativa de autoagressão ou de defesa. NUNCA para maltratar outra pessoa. EU NÃO AGUENTO LUGARES CHEIOS, PASSO MAL. Não é mania, não é loucura, não é claustrofobia... é pq minha memória é horrível e eu guardo TUDO! E NESSES LUGARES COM MUITA INFORMAÇÃO SENSORIAL, eu vou ficar sufocada! A não ser que eu esteja focada em 1 objetivo único e pontual e recite uma especie de mantra seguro. Do tipo: "Oi, Meu nome é Stephanie, tudo bem?" EU PRECISO DE HORAS DE SILENCIO SEM ABRIR A BOCA...se não eu vomito! Passo mesmo mal. EU VOMITO EM VIAGENS, ATÉ DE AVIÃO. Não sou burra, não sou lenta, não entendi o que você falou, não por ignorância, mas porque o que você falou não é lógico. Eu não sofro por não ter milhões de amigos, não sofro por passar o dia sozinha, não sofro por não ter uma festa de aniversário. Não tenho uma carência nesse sentido. Eu me preocupo com você, mas minha empatia não vai me fazer me colocar no teu lugar. E vou tentar te socorrer... mas não vou pensar que tenho que te ajudar porque poderia ter sido eu a cair naquele buraco. Vou te ajudar, porque quero te tirar do buraco e ponto! Não sou melhor ou pior que ninguém por ser quem sou, apenas SOU. E agradeço a Deus por ser assim. Não, isso não é despeito... EU NÃO QUERO UMA CURA! Eu amo ser quem sou.... Você não? Dra. Stephanie Família

sábado, 4 de novembro de 2017

Não foram os teus olhos, foi o teu olhar que me encantou.


Não, eu não te prometo que vai ser fácil.

Não prometo que vou ser sempre gentil e divertida. Algumas vezes eu vou estar cansada, vou me zangar até com uma coisa pequena...nem sempre por tua causa. Eu tenho hormônios.
Minha intenção não será de te ofender, eu me conheço.

Não prometo que tudo vai dar certo. Algumas vezes ficarei doente, você também.
Vou chorar, reclamar, pedir desculpas e rir. Nem sempre nessa ordem.

Vamos ter dificuldades, vamos nos preocupar. Não serão apenas sorrisos.

Mas eu prometo, que se você for honesto comigo e não mentir, trair ou humilhar, eu vou ser por você.
Vou ser a leoa que te defende, a guerreira que luta com unhas e dentes por você, pela nossa família.

Te prometo segurança no meu amor, e certeza do meu cuidado. Prometo que vou te admirar, até se eu tiver que te colocar fraldas.
Vou te respeitar.

Prometo que vou te dar o melhor pedaço de mim, nem sempre porque você me dará o mesmo, mas porque eu sou assim.
Não prometo o que pretendo ser ou ter, apenas o que tenho, o que já sou.

Só te peço que...
Carregue comigo em partes iguais o jugo da vida. Não peço menos do que dou.

Eu vou te animar... você vai me animar. Te escolhi por isso, temos o mesmo olhar.

Mil cairão ao nosso lado, 10 mil a nossa direita, e não seremos atingidos. Mas teremos bom animo. Juntos, levando o mesmo fardo, em tamanhos iguais, na força Dele, nós venceremos o mundo.

Stephanie Família

Postagens populares