Irmãos, a melhor herança.



Um dia, eu voltei a dormir... ao fim de dois anos de noites semi-acordadas, eu pude finalmente descansar. Me senti em paz. Ufa...passou! E então eu percebi, estava pronta para recomeçar, ter outro bebê.
Custou? bastante!!! Cansei? muito! Foi mais fácil? algumas vezes sim, outras não. Mas foi a melhor escolha da minha vida.
Um irmão, é com certeza, a melhor herança que eu podia deixar aos meus filhos.
Escrito por Stephanie Cabrita

#irmaosamelhorherança #maedefamilia #stephaniecabrita

Meu filho de está terrível? Ele é agressivo, irritado...

Repito isso quase diariamente aqui...
Criança NÃO nasce com personalidade.
A personalidade ele formará com você e por sua causa! Ele se comporta de uma forma... sua reação a esse comportamento irá formar a personalidade dele.



"A personalidade futura, será o resultado do temperamento e as ações educativas que receba dos adultos (Pai, Mãe, irmãos, avós, educadores, etc...) e das relações que ele mesmo estabeleça.
A criança vai criando uma conduta em função das reações que os adultos tem ante seu comportamento e as diferentes experiencias que for acumulando."


Mulher tem que trabalhar, não pode depender de marido...RELATO


Boa noite, adoro suas dicas, tem me ajudado muito.
Sou mãe de um menino de 3 anos, que é o amor da minha vida. Depois da licença maternidade voltei a trabalhar e meu filho ficava com a avó, me sentiu completamente infeliz, pq queria participar a todo o momento do desenvolvimento do meu filho, mas trabalhava quase 9h por dia, ficava pouco com ele. Um dia conversei com meu marido e decidimos que eu iria parar de trabalhar, ia me dedicar por um tempo para meu filho, me realizei, era tudo o que eu mais queria, larguei meu emprego, minha profissão e fui ser mãe por completo. Mas ao passar do tempo muitas pessoas ficavam na minha cabeça "mulher tem que trabalhar, não pode depender de marido", comecei me sentir inútil, estava incomodada com o que as pessoas pensavam de mim, e com seus conselhos me libertei disso, se eu estou feliz sendo mãe 24h porque tenho que me preocupar com os outros, e descobri uma nova profissão que eu tenho total vocação e que vou  desempenhar feliz e realizada, no meio do ano começo a fazer faculdade a distância de pedagogia.
Obrigada por ajudar milhares de mães a serem melhores a cada dia.
Fran Loquete.

Estou velha para o mercado de trabalho... Relato da leitora



Oi Stephanie, ao ler seu artigo : " Ser do lar  hoje em dia é uma vergonha", senti o desejo de compartilhar com vc minha história, pois me identifiquei muito com este tipo de mulher que deixou tudo para se dedicar à Família.  Hoje tenho 39 anos, meus filhos já estão  crescidos. Me casei com 21 anos , só que hoje me sinto triste pois me vejo " velha" para o mercado  de  trabalho, já que não tenho ensino superior, apenas terminei o segundo grau;  enfim no sinto cansada, triste e sem forças para correr atrás do tempo que se foi, nunca digo perdido , porque vivi 100% para meus filhos, mas hoje eles estão grandes e não  precisam tanto de mim quanto antes.
Enfim , era isso espero que me compreenda.
Gostaria de um conselho seu !
Abraços!
Te conheço ha pouco tempo , mas já te admiro muito!
Beijos! ❤❤❤❤

Olá querida Leitora... (vou ser um pouco rispida, mas não se magoe. Sou assim bem pratica, mas meu sentimento é de carinho)

Totalmente infundado esse sentimento de "velha para o mercado de trabalho".
Seus filhos não precisam tanto de você mas eles nunca foram o motivo da sua existencia. Antes deles você ja existia. Eles apenas agregaram, somaram e te capacitaram enquanto ser humano e porque não, enquanto profissional.
Você não aprendeu nada nos ultimos 39 anos? Esteve dormindo? Não me parece!
Levanta a cabeça e observa em você aquilo o que sabe e gosta de fazer. Seja a melhor do mundo nisso e nunca vai te faltar trabalho.

Existe mercado para tudo nesse nosso mundo... todo tipo de produto e serviço pode ser comercializado... Milhoes de associaçoes e ONGs precisando de mão de obra com as suas qualificaçoes,  cerca de 15 anos de maternidade a tempo integral te capacitam mais do que você está supondo.
Se leu o texto ate o fim, deve ter visto a parte em que digo que minha mãe agora aos 60 anos está na faculdade de direito... e não só, ela estaá se formando como psicanalista, pois ela sempre foi una conselheira maravilhosa e agora aos 60 quis se diplomar no que já era mais que PHD, cuidar dos outros.
Foco, pare de esperar atenção e função vinda dos outros. Todo o trabalho que quer e pode executar ja esta em você... quando mudar seus olhos irá com certeza ver isto.
Com todo carinho, Stephanie Cabrita.
Para complementar, deixo-te essas palavras em vídeo.

Minha bebê bate nos coleguinhas na creche...o que eu faço?





Tenho uma bebê de 1 ano e 11 meses. Ela frequenta a creche no período da manhã, que estou trabalhando. De uma semana pra cá estou recebendo reclamações das cuidadoras, porque a  Bebê está batendo nos colegas. Em casa ela é uma criança tranquila, que não precisa brigar por espaço, brinquedos ou atenção, já que é filha e neta única. Respondi as reclamações com um bilhete me desculpando e autorizando as cuidadoras a serem mais firmes, e até a usarem o cantinho do pensamento, se for necessário.
 Essas são as atitudes a serem tomadas do ponto de vista pedagógico, mas a minha psicopedagogia não funciona quando o assunto é meu bebê. "Casa de ferreiro o espeto é de pau" quando se trata dela sou uma completa analfabeta em desenvolvimento e aprendizagem infantil.
Por favor me ajude!!!

RESPOSTA
Cantinho do pensamento com um bebê não é minimamente inteligente, muito menos pedagógico. Na verdade beira ao ridículo.
Existem coisas que devem ser tratadas em casa... mas neste caso, um bebê agressivo é culpa da má pedagogia empregada nessa creche. Nunca, nunca, nunca admita que sejam mais firmes com um bebê! isso é crime!
O bebê precisa ter ocupação de qualidade na creche... se não tiver, ele terá espaço e tempo para "brigas". E se ele tem este tempo ocioso a culpa é de quem??????

Creche tem que ter rotina de atividades para manter as crianças felizes e ocupadas... e tem que ter pedagogias positivas e não punitivas para lidar com momentos de brigas, mordidas e irritação dos bebês. Se não tem, retire desta creche ou faça uma exigência para que contratem professoras que tenham o mínimo de estudo para esta função!
Assista o video...nele eu explico. 

Parei de pedir, comecei a dar... RELATO


Muito obrigada pelos vídeos que tem feito.
Muito obrigada porque, com a tantas mães que a ouvem, também me tem feito repensar e, não apenas isso, mudar as atitudes/o olhar.

Ando no jejum dos gritos, desde 21/5. E gosto tanto disso! Mesmo que não veja, ainda, as mesmas mudanças nos gestos e tons da pessoa mais importante da minha vida, sinto realmente que é assim que quero viver com/para a família, nesse modo "lua de mel". Se Deus quiser, havemos de conseguir manter-nos no trilho.
O reconhecer do meu olhar amargo, sobre tudo perante as atitudes dos outros, associado a um sentir doloroso, como se "tudo" se tratasse de um ataque pessoal, depois a história que contou da nora/sogra_ assustadora no início (desejar a morte de alguém?!), mas reveladora de uma lição profunda , as suas palavras sobre o papel/culpa das mães/pais e a inocência das crianças (tantas vezes, esquecida/atropelada), enfim...

Resistir à tentação da auto-comiseração e vitimização.Alargar a visão para perceber as bênçãos e maravilhas de Deus.
Não desistir. Pôr mãos à(s) obra(s).
Não fechar portas.
Ser humilde e grata, na prática do dia-a-dia.
Mais do que querer, ser de verdade.


Por isso, Stephanie, obrigada.
Encontrei-a, por acaso. Identifiquei-me pela situação de emigrante, sem família/apoio perto e profissão interrompida, ou melhor, alterada por opção pessoal (no seu caso, com uma convicção inabalável, graças ao seu carácter de total segurança em si própria).
Vou ouvindo sempre que tenho tempo livre; ao vivo, consegui assistir a um único vídeo, mas foi muito interessante a sensação do "estar em directo". 

Lufada de ar fresco, tão bem fundamentado no ensinamento de Jesus.
Até um dia.
Beijinhos,
Daniela

Me posicionei e isso mudou muita coisa por aqui...RELATO


"Olá, boa tarde! Como vai? Sou mãe do L. de 2 anos e 1 mês e sigo você há mais ou menos 2 meses. Suas orientações têm mudado a minha visão sobre maternidade. Sempre sonhei em ser mãe e já perdi um filho aos 5 meses de gestação. Consegui realizar esse sonho aos 31 anos. Mas eu era muito amarga e perdia tempo triste por não ter ajuda e me sentir sobrecarregada.
Meu marido faz o que pode, o trabalho dele não é fácil e mesmo assim ele me ajuda em casa. Mas eu achava que alguns familiares dele, por morar perto de mim, poderiam me ajudar.
Vendo seus vídeos me toquei do quanto estava perdida e sofrendo em vão por mendigar ajuda. Me posicionei e isso mudou muita coisa por aqui. Mas ainda estou trabalhando para mudar o pior: bato no meu filho... Não batia nele há alguns dias pois já tinha decidido acabar com isso. Mas domingo não me controlei e dei dois tapas nele. Não me orgulho disso. Sei que estou errada e até chorei de vergonha quando vi teu vídeo de ontem. Isso vai acabar! Entrei hoje em lua de mel com meu pequeno e breve volto aqui pra contar como tudo mudou. Continue nessa missão. Tenho certeza que muitos lares são restaurados através do teu trabalho. Deus te abençoe!"

Muito obrigada pelo seu testemunho...tenho certeza que vai incentivar outras mães que também buscam dominio próprio e sabedoria para educar.
Assita o vídeo da Lua de Mel aqui

Postagens populares