segunda-feira, 11 de junho de 2018

O que fazer com crianças pelos lados de Setubal, Portugal?

O que mais gostos nos passeios com meus filhos é não ter que ser eu a entreter-los, ao mesmo tempo que também não gasto fortunas...
Herdade de Gâmbia é assim... Este lugar, conhecido pelas aves com pernas longas, daí o nome Pernilongo, é um sítio de completo entretenimento e desenvolvimento físico, social e espiritual para todos nós...
Aquele dia perto da natureza, com afazeres simples e completos do campo. Um dia de Vida Real, com Mundo real. Sem plásticos, insufláveis ou equipamentos eletrônicos...
Lá, eles "naturam"... e nós descansamos. 

Fica aqui um pouco do dia em que o Mãe de Família conheceu a Herdade de Gâmbia, o magnifico Lugar dos Pernilongos... Obrigada a todos pelo dia calmo, completo e cheio de energias positivas.
Deixo aqui o Link para quem quiser saber mais...Lugar dos Pernilongos

terça-feira, 5 de junho de 2018

EnSine...


Ensine a pedir desculpas, mas ensine também a ter razão. 
Ensine a chorar, mas que um pouco de arrogância faz bem. 
Ensine a pedir socorro, mas que autonomia é fundamental.
Ensine a cativar amigos, mas que ficar sozinho é gostoso também.
Que dormir é bom, mas perder noites de sono pode ser revelador...
Que o jejum também alimenta, que um não a alguém pode ser o melhor sim a ele mesmo que vai dizer.
Que riso pode ser de medo e choro de felicidade...
Que oque arde cura, e que a cicatriz nem sempre é o fim da dor...
Que dar é melhor que receber, mas que saber receber pode ser o melhor presente que vai dar...
Que acordar nem sempre é festa, e que festa nem sempre é alegria.
Que tédio faz bem, que não ter nada nos faz inventar e que criar nos ressuscita...
Que o "juntos para sempre" inclui o adeus, e que viver todos os dias como se fosse o ultimo significa não se esforçar o tempo todo... deixar as ondas guiarem o barco faz parte também.
Que nem sempre existe o certo e o errado, a razão e o instinto. 
Que o passado vai ser sempre o futuro... o que era é, oque é será. 
Que nem tudo o que Salomão disse, foi sabedoria... que os grandes também erram, mas que ainda assim vemos mais longe quando não desistimos de nos apoiar no gigante que viu do alto o que não fomos capazes primeiro. 

Ensine a ser simples, mesmo que no luxo, e a ter paz no lixo encontrando a alegria do luxo de estar vivo. 

Ensine a ser humano...a ter humanidade, a olhar por todos e por si mesmo e que o prioritário é o próximo, mesmo que isso signifique perder. 

Que vou sempre te amar, mas que nem sempre estarei ao teu lado e do teu lado.
Que o que é bom sabe a pouco, deixa o gostinho de quero mais, e que essa sede também faz bem. 

Ensine a economizar papel higiênico, a trocar de cuecas, a cheirar a própria axila antes de falar de alguém. 

Ensine... e deixe-se ensinar. Crescemos enquanto ensinamos, mas só aprendemos quando sabemos ouvir. 

Ensine que mesmo que você ensine, algumas vezes vai errar, e que isso também é lição aprendida, que a piada da vida é nunca aprender tudo.

Por Stephanie Matos, a Mãe de Família. 

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Minha sogra/sogro atrapalha minha educação



E de repente o vovô não sabe de nada. A avó apenas atrapalha e não sabe cuidar. 
Nada sabe de tecnologias e nem entende o Call of Duty. Alias... que raio de jogo é esse? 
Agora o vovô é um problema, porque diz palavras feias como "bosta", "ô cassete" ou pior "PQP" e fuma cachimbo.
Nossa... que mal exemplo!!!
Enquanto no GTA o cara é o máximo porque rouba um helicóptero e bate nas velhinhas das ruas virtuais.
Ah não, meu filho não vai jogar essas coisas... 
Será? Vamos 'embolhar' eles? "Guias cegos! Vocês coam um mosquito e engolem um camelo." Mt. 23:24)

E aquela pessoa cheia de vivencia, não consegue ser especial na vida do neto, um indivíduo com mais de meio século de existência, não tem nada a acrescentar. E o pior... começam a acreditar que são incapazes. As vovós (sogra) competem por um lugar, e os avôs na defensiva, fingem que não querem saber, fingem tanto que se convencem e desdenham. 
Quanto mais desnecessário ele se sente, mais insuportável ele se torna. Aquela pessoa, que podia acrescentar, é agora um incômodo. 
Não há alma que resista a tanto desprezo. Os avós, de aliados, transformam-se no que seu medo projetou. 

E você, jovem papai, que tanto o criticou, vai colher isso... uma geração que sabe mais que todo mundo, que não precisa de quem vem antes... porque desde o inicio, desde bebê você ensinou, que no futuro está a resposta. 

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Sem pressa ou Soluções, apenas existir...



Enquanto o sonhinho da tarde é apenas isso... sono. Sem medos, noites mal dormidas por ansiedades. Sem exaustão de horas de trabalho e lutas da vida. 
Enquanto o peito da mãe é apenas isso... o colo de aconchego. Sem dores, sem angustias de saudades e medos de perder. Apenas um colo que apoia a cabeça para o descanso. 
Enquanto tudo é leve e todos os dias são novidade de vida.
Enquanto respirar não é alivio, é apenas o habitual entra e sai de ar... ora ofegante, ora espaçado.
Enquanto não há erros e acertos, apenas um haver de existir da vida que caminha para o dia de amanhã que ele espera, que esteja sol para brincar no parquinho.
Stephanie Matos, Mãe do Pedrinho.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Brincadeira tem hora e lugar SIM!

Todos sabem que prego uma disciplina de educação para a vida. Disciplina com respeito ao indivíduo independente da idade. Toda criança, bebé, adolescente, jovem, adulto, idoso, merece que se respeite sua individualidade... E cabe a mim ensinar isto ao meu filho.

"Amo-te muito, és meu maior tesouro, respeito seus momentos de frustação e necessidades de brincadeiras, mas, onde começa o espaço do outro ser vivo, termina o teu!"

quinta-feira, 3 de maio de 2018

E de repente, o pior já passou.


Joana está com quase 6 anos e Pedro com 3 anos. 
Tive dias de bagunça total e vontade de estar na cama. O que eu fazia? Nesses dia fazia o mínimo. Mas nunca deixei que um dia desses durasse mais que isso...apenas 1. 
Na maioria das vezes me levantava sem ter dormido nada a noite toda, e sabia que tinha um dia inteiro à minha espera. 

Joana desde os dois anos não faz soneca à tarde, ela nunca foi à creche, nem Pedro. 

E o que eu fazia para aguentar esse dia? Tomava um café e ia para o parquinho. 
Sabia que a cavalaria não viria me socorrer, sabia que não ia aparecer uma fada madrinha, e na maioria da vezes, nem uma pessoa conhecida para perguntar...quer ajuda?

Ia ao supermercado, limpava a casa, nem sempre a 100%, ia deixando as coisas no lugar.

Meu melhor amigo nas limpezas sempre foi o aspirador de pó... RECOMENDO! O som acalmava o bebê, por um tempo, depois tornou-se o estopim do desespero. 
Durante meses limpei a casa com filho ao colo, sempre aos poucos, apenas o necessário. 
Mudei a decoração, retirei tapetes, coisas que acumulavam pó, e até diminui a quantidade de pratos, copos e talheres. 
E recentemente, saimos da Romenia, para voltar a viver em Portugal...

Mais importante do que a casa limpa, sempre foi meu bom humor. Sei quando estou bem, cuido bem. 
Fiquei doente com eles, brinquei, chorei, briguei e aprendi a me controlar.
E aqui estamos nós, vencendo essa etapa. Agora Pedro acorda menos durante a noite, e teremos ainda muitas aventuras por vir. 

Obrigada à vocês que me acompanharam  nesse percurso, leram meu textos diariamente, congregaram comigo nos vídeos ao vivo, e testemunharam nossas preocupações e alegrias. 
Obrigada por todas que são ou pretendem ser, Mãe de Família.

terça-feira, 1 de maio de 2018

Meu filho foge de mim e faz birra quando não dou o que ele quer.


Corre que lá vem a mamãe!!!
Olha mãe, eu consigo chegar aqui sozinho... fica orgulhosa mamãe.
Viu, eu posso correr...e que bonitinho esse balde aqui a meio do caminho (lixeira) o que será que tem dentro?
Eu já alcanço, oba! Vou tentar pegar e mostrar para mamãe do que eu sou capaz.

Ela está gritando comigo...porque? Mãe, você não está orgulhosa de mim?
O que está acontecendo? Eu apenas fiz coisas iguais as que você sempre faz.
Peguei as coisas naquela loja grande e joguei no carrinho... algumas mais bonitas eu apenas segurei. Tão lindo, eu não quero soltar. Agora entendo porque a mamãe sempre faz isso. Vem aqui, pega as coisas e leva para ela.
Finalmente cresci e já posso fazer igual a mamãe.

Mas ela briga comigo. Isso tudo é tão confuso. Se eu não posso pegar, porque ela me trouxe aqui?
Outro dia ela feliz e orgulhosa, contava para todo mundo que eu estava andando, e agora até me bate quando eu corro.

Mundo ruim, estou infeliz, com raiva da mamãe, com vergonha do papai, ela contou tudo para ele e ele e agora, já nem me lembro porque e ele também briga comigo.
Estou sozinho, perdido e sem entender.

Será que ninguém tem paciência para me explicar muitas vezes até eu conseguir perceber o que é certo e errado? Talvez demore anos, eu sou criança.

Eu não sei o que fazer. Tenho o cérebro de um bebê e habilidades de um menino crescido, por isso me tratam como se eu tivesse 12 anos.


Se você anda perdido, sem saber o que fazer, recomendo nossos vídeo-papo de mãe. Assista esse e outros vídeos.

Postagens populares